Paranatinga, 24 de Maio de 2022

Saúde

Saúde diz que projeto é eleitoreiro: estao olhando para a bolha

Publicado 06/01/2022 08:36:27


O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, afirmou que a ideia da Assembleia Legislativa de proibir o “passaporte da vacina” está contamina por interesses eleitorais.

 

Um novo projeto visando proibir o Governo de adotar o passaporte da vacina contra a Covid-19 em todo o território de Mato Grosso foi apresentando pelo deputado Gilberto Cattani (PSL) nesta terça-feira (4).

 

 

“Não tenho a menor dúvida de que alguns defensores estão olhando para uma bolha porque existe um conjunto de eleitores que vão nessa corrente e eles [deputados] estão querendo conquistá-los”, disse o secretário em entrevista a Rádio CBN nesta quarta-feira (5).  

 

“Inclusive, aqueles que vacinam os seus filhos e acreditam na importância da vacina entrando nessa seara. Eu acho muito triste que esse assunto esteja indo para uma esfera de politização”, acrescentou.

 

 

Gilberto afirmou que caso o projeto seja aprovado pela Assembleia será uma decisão “inócua” diante da inconstitucionalidade da medida.

 

“O interesse coletivo sempre vai prevalecer e isso está ensejado já nos marcos legais do País, na Constituição. O próprio Supremo Tribunal Federal já se manifestou sobre isso. Então é uma decisão inócua. Se essa lei for aprovada, vai ter pouca efetividade, vai cair rapidamente”, disse.

 

 

O secretário de Saúde ainda afirmou que caso seja necessário o Estado irá adotar sim uma medida emergencial para restringir o acesso de pessoas.

 

“Se isso fosse algo ilegal não estaria hoje no Estado de São Paulo praticamente todos os servidores obrigados a apresentar comprovação de vacina para frequentar o trabalho. Imagina quando iniciar o ano letivo, a partir do momento que tiver vacina disponível para todas as crianças”, declarou.

 

 

Por fim, Figueiredo classificou como “irresponsáveis e um “desserviço” ilações de autoridades públicas a respeito da ineficiência da vacina ou de mecanismo que impeçam ou estimule as pessoas a não se vacinar.

 

O projeto 

 

O novo projeto substitui o que havia sido apresentado pela deputada Janaina Riva (MDB) no ano passado e que foi arquivado a pedido da parlamentar.

 

Inicialmente, o texto da emedebista visava proibir a exigência de comprovante apenas em comércios e congêneres, mas após quatro substitutivos, teve o objeto modificado para conceder a decisão às autoridades sanitárias, o que causou uma grande celeuma no Parlamento.

 

 

O projeto de Cattani, que é alinhado às ideias do presidente Jair Bolsonaro (PL), chegou a ser lido em plenário e o deputado conseguiu assinaturas necessárias para que o texto seja apreciado em regime de urgência urgentíssima. Houve, no entanto, um pedido de vista do deputado Lúdio Cabral (PT), membro da Comissão de Saúde. Com isso, a pauta retorna para votação nesta quarta-feira (05).

 

Fonte: MIDIA NEWS

Entre no grupo do Paranatinga News no Telegram e receba noticias em tempo real. CLIQUE AQUI

Publicidade Áudio

Enquete

Na sua opinião qual investimento é mais urgente para Paranatinga

CONCLUIR HOSPITAL MUNICIPAL

ASFALTAR BAIRROS

MELHORAR ILUMINAÇÃO

SINALIZAÇÃO DE TRANSITO E RUAS

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE

Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.