Paranatinga, 16 de Setembro de 2019

Política

CHAMADO DE MENTIROSO

Emanuel diz que tem sido "terrivelmente hostilizado" por Mendes

Publicado 10/09/2019 12:15:45


DOUGLAS TRIELLI E CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

 

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que não participou do desfile cívico-militar alusivo às comemorações da Independência do Brasil, no último sábado (07), no Centro da Capital, por conta da presença do governador Mauro Mendes (DEM).

 

Emanuel se disse “terrivelmente hostilizado e desrespeitado” pelo chefe de Estado nas últimas semanas e, por isso, tem evitado manter outro tipo de relação com o democrata que não a institucional.

 

Na semana passada, Mendes declarou que o prefeito “conversa muito, fala muito, trabalha pouco e mente bastante” ao ser questionado sobre uma dívida de R$ 68 milhões relativa a serviços pactuados entre o Município e o Estado que Emanuel vinha cobrando.

 

“Eu não vou ficar medindo palavras e vou ser franco: o governador tem me hostilizado terrivelmente em público. Tem, por algumas vezes, faltado com o respeito comigo como prefeito da Capital. Então, se ele não me quer do lado dele, para que vou constrangê-lo?”, disse Emanuel em conversa com a imprensa nesta terça-feira (10), durante lançamento do programa Hora Estendida em unidades de Saúde da Atenção Básica da Capital.

 

 

O governador tem me hostilizado terrivelmente em público. Tem, por algumas vezes, faltado com o respeito comigo como prefeito da Capital

O prefeito disse desconhecer as razões pelas quais Mendes vem tecendo duras críticas a ele por meio da imprensa. Ele preferiu não citar se há ligação com o processo eleitoral do próximo ano. Emanuel deve ir à reeleição e Mendes lançar um candidato de seu grupo pelo Democratas (DEM).

 

“A gente está conversando, dialogando institucionalmente, e resolvendo os problemas da população cuiabana já me basta. Então, não precisa ficar batendo foto, não precisa ficar junto já que ele não quer, já que ele está se sentindo tão mal com minha presença”, afirmou.

 

“Então, deixa ele tocar as atividades dele. Torço para que dê certo. No que depender de mim, principalmente para beneficiar Cuiabá e a população, tudo farei para isso acontecer. E dei a liberdade de o governador conviver como ele quer conviver. Já vi que ele não quer minha presença ao lado dele. Então para que vou constrangê-lo? A troco de quê? Vou desafiá-lo? Não”, disse.

 

Dívida milionária

 

Emanuel ainda minimizou as declarações de Mendes sobre a dívida do Estado com a Saúde do Município.

 

Segundo o prefeito, a dívida já está reconhecida, é alta e precisa ser quitada.

 

“Não vou entrar nesse nível do governador, que deveria estar muito nervoso na hora com tantos problemas que ele tem. Esta não é a postura mais indicada para o chefe do Poder Executivo Estadual”, afirmou.

 

“Não é isso que a sociedade espera dele, principalmente quando se discute um assunto tão grave, tão sério, que é uma dívida já reconhecida que está em jogo. Uma dívida do Estado, muito alta, que o Estado reconhece, de quase R$ 40 milhões. É uma dívida altíssima que o Estado. Não vou entrar na discussão nesses termos que o governador colocou. Espero que ele entenda que relação institucional entre prefeito e governador precisa ser feita em alto nível”, completou.

 

 

Fonte: Midia News

Publicidade Áudio

Enquete

Você é a favor ou contra privatização da MT 130 entre Primavera do Leste a Paranatinga

A FAVOR

CONTRA

INDEFINIDO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE